Andropausa Menopausa

Menopausa

Quando ocorre uma pausa geralmente abrupta da produção dos hormônios ovarianos: estrógenos, progesterona e testosterona. Em algumas mulheres isso pode passar desapercebido, porém em outras pode trazer sintomas muito desagradáveis e limitantes e é justamente essas mulheres (sintomáticas) que, salvo contraindicação absoluta, tem grande benefício clínico com a reposição hormonal. Já tem trabalhos científicos associando os fogachos (ondas de calor) sentidos na menopausa a micro-isquemias cerebrais, aumentando a probabilidade de uma futura doença neurológica degenerativa. A reposição ajuda também no processo de prevenção de osteopenia, osteoporose e sarcopenia. Além de melhorar de maneira considerável a qualidade de vida dessas mulheres.

Andropausa

É a queda do hormônio masculino testosterona produzido pelos testículos. No processo de andropausa, ao contrário da menopausa onde o processo ocorre de forma súbita, a andropausa o quadro vai evoluindo lentamente. Geralmente o homem percebe algum sintoma relacionado a queda da produção de testosterona após os 40 anos. E nem sempre se faz logo de imediato reposição com testosterona, porque uma vez iniciada a reposição provavelmente esse homem vai depender do tratamento por tempo indeterminado, primeiro tentamos com formulações de micronutrientes específicos, estimular a produção testicular de testosterona aumentando naturalmente seus níveis. Quando é necessário realizar a reposição é importante que seja feita com hormônios bioidênticos, que são hormônios de origem vegetal, com uma estrutura molecular idêntica ao hormônio produzido pelo nosso corpo.
Importante salientar que a Andropausa não é uma simples queda hormonal, ocorrem uma série de alterações nos micronutrientes que também precisam ser equilibrabradas.

Somatopausa

É a deficiência do hormônio do crescimento, diagnosticada clínica e laboratorialmente. Não observamos com tanta frequência, a maioria das pessoas passam suas vidas sem indicação de reposição de hormônio do crescimento. Porém em alguns casos de deficiência tanto primária (quando a própria glândula não consegue produzir quantidades satisfatórias) ou secundária (alguma doença levando a queda ou consumo excessivo do hormônio). Sua indicação é consenso em alguns casos clínicos como tratamento de grandes queimados, indivíduos portadores de retrovírus. A reposição de hormônio do crescimento (GH), salvo contraindicação, pode ser feita somente em indivíduos com indicação clínica e naqueles com deficiência comprovada clínica e laboratorialmente, melhorando consideravelmente sua qualidade de vida geral.

Adrenopausa

Seria uma diminuição da produção de cortisol pela glândula suprarrenal. Hoje se fala muito em Síndrome da Fadiga Adrenal, processo no qual a glândula não estaria funcionando de maneira adequada. Particularmente, não tenho hábito de fazer reposição de cortisol, exceto em casos com absoluta indicação. Prefiro modular essa glândula adrenal com micronutrientes específicos que promovem seu bom funcionamento. 


Dr. Alessandro Garcia - Médico Nutrólogo & Ortomolecular
Copacabana, Rio de Janeiro, RJ